Greenwashing: entenda o que é a lavagem verde

Copos de plástico escrito "eco" ilustram o greenwashing

Você já ouviu falar em Greenwashing? O termo pode ser traduzido como “lavagem verde”, “maquiagem verde” ou até mesmo “pintando de verde” e faz referência a estratégias de propaganda enganosa praticada por empresas, organizações não governamentais (ONGs) e governos.

A estratégia consiste em promover um discurso sustentável e ecologicamente correto quando, na realidade, as ações prometidas não acontecem na prática. Vamos entender melhor o que é o greenwashing?

O que é greenwashing?

Greenwashing nada mais é do que um “banho verde” no rótulo e no discurso, deixando-os com a aparência de ecologicamente correto e sustentável, de forma a tornar determinado produto ou serviço mais atrativo.

Entretanto, muitas vezes, ao pesquisar as empresas, ONGs ou até mesmo governos que abusam de termos como “natural”, “sustentável”, “selo verde”, fica evidente que a grande maioria, no fundo, só se interessa pelo lucro.

A intenção primordial do greenwashing é relacionar a imagem de quem divulga essas informações à defesa do meio ambiente, geralmente com termos como os citados acima ou até mesmo com imagens que remetem à natureza.

Todavia, é comum que as medidas reais que colaborem com a redução ou solução dos problemas ambientais não sejam realmente adotadas – e, por vezes, as ações tomadas acabam por gerar impactos negativos no planeta.

Ou seja, o greenwashing é como uma propaganda enganosa: ele passa uma imagem enquanto, na prática, outra coisa acontece.

Quais as consequências da lavagem verde?

Como mencionamos anteriormente, além de não serem adotadas, as práticas prometidas por essas empresas muitas vezes acabam, na verdade, gerando impactos negativos ao meio ambiente.

Ou seja, ao camuflar ações danosas ao clima, à natureza e ao bem-estar social, a propaganda enganosa pode trazer muitas consequências, a começar pelos danos gerados ao planeta – a nossa única casa.

Além disso, também podemos citar as consequências para os consumidores, que se manifestam através da insegurança e da desconfiança – refletindo até mesmo nas empresas que realmente se preocupam com o meio ambiente.

Como identificar a prática do greenwashing?

Muitos consumidores acabam se sentindo confusos quando são expostos às práticas do greenwashing.

Por isso, selecionamos algumas atitudes que as pessoas podem tomar para não caírem na propaganda enganosa da “lavagem verde”:

  • Observe se o anúncio utiliza termos muito vagos, como “sustentável” ou “eco friendly”, sem esclarecer quais são as atitudes efetivas;
  • Evite a “distração” do rótulo, ou seja, se o produto afirma que possui 50% menos plástico, significa que ele continua sendo um problema para a geração de lixo no planeta;
  • Fique atento aos produtos “ecologicamente corretos”, mas que não possuem certificações em seu rótulo. Busque por selos como do euReciclo, FSC (Forest Stewardship Council); IBD (Instituto Biodinâmico), PROCEL e Ecocert;
  • O produto também pode conter um certificado falso ou um selo que lembre muito o certificado original. Por isso, é importante conhecermos as certificações para evitar essas marcas;
  • Por fim, verifique se a empresa fornece algum meio de comunicação para que as pessoas possam buscar a veracidade das informações. Se não apresentar, desconfie, hein?

Leia também: Cruelty free: veja o que o termo significa e sua importância

No dia da mentira, fique de olho no greenwashing!

Nós da positiv.a temos orgulho da nossa transparência com nosso compromisso de ser uma empresa melhor para o planeta.

Desde a escolha das matérias-primas até o descarte das embalagens: pensamos em todos os detalhes para só gerar impacto positivo pro planeta, pro seu corpo e pra sua casa.

Por isso, não deixe de questionar as empresas das quais você consome. Elas estão realmente preocupadas com a sua saúde? Com o meio ambiente? Com o futuro do planeta? Afinal, lembre-se: seu consumo é um manifesto!

E não esqueça de contar pra gente: você já sabia o que era greenwashing? Já viu alguma propaganda assim por aí? Deixa nos comentários! 😉

Fontes:

Acesso em março de 2022:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.