Ecofelicidade: o equilíbrio entre o eu, o outro e o meio ambiente

O que é felicidade para você?

Estamos constantemente em busca da tal felicidade. Reconhecê-la é fácil. Mas saber como atingi-la, às vezes, nem tanto.

Para uns a felicidade é o fim, para outros o caminho. Para uns é a solitude, para outros é a comunhão. Uns se contentam com menos que outros. E por aí vai…

Felicidade é algo relativo. Mas segundo um novo conceito chamado ECOFELICIDADE, existem três pontos de equilíbrio perfeitamente possíveis de serem alcançados e que vão aumentar o potencial individual de bem-estar, paz interior e felicidade.

São eles:

  • Equilíbrio consigo mesmo
  • Equilíbrio nas variadas relações que exercemos, diariamente, com o outro
  • Equilíbrio com o meio ambiente em que se está inserido

O movimento ECOFELICIDADE é direcionado para um desenvolvimento humano que tenha como objetivo principal estimular o equilíbrio interior com base no autoconhecimento. Com esse passo dado, harmonizar as relações com o outro (sociedade como um todo) e com o meio ambiente em que está inserido. Com base no respeito a todas as formas de vida, tornando os desafios do dia a dia, uma sequência de experiências plenas e desejáveis.

DESENVOLVIMENTO PESSOAL POR UMA OUTRA PERSPECTIVA

O eu

Conhecer a si mesmo e saber onde implica verdadeiramente seu desejo é um grande passo para nosso desenvolvimento enquanto seres humanos.

Estar em contato com o corpo, a saúde e a vida de forma leve, prazerosa e despida de pré-julgamentos, máscaras e padrões sociais.

Atingir esse lugar de forma que não seja egoísta, mas sim considerando que – você estando bem com você mesm@, poderá ser melhor para @ outr@.

O nosso

A comunicação é o principal meio para se resolver conflitos e conectar as pessoas de forma mais empática, autêntica e compassiva.

Quando são estabelecidos vínculos de confiança com as relações a nossa volta, seja de amizade, de família ou amorosa, por meio da escuta ativa, por exemplo, as pessoas se sentem menos sozinhas.

Estabelecer relações de profundidade com as pessoas, que sejam poucas, mas que possa haver essa troca é saudável para um apoio nos percalços do dia a dia.

A empatia também é um exercício contínuo para o fortalecimento das relações. Isso é, colocar-se no lugar do outro antes de falar ou fazer qualquer coisa. Respeito pela vivência do próximo e pela sua própria.

 

O meio ambiente

E todas essas relações têm como cenário o meio ambiente. Buscar a harmonia do viver em sintonia com a natureza de maneira ecológica.

Dar uns passos atrás do chamado “desenvolvimento” e reaprender a viver como nossos avós, bisavós, tataravós. Ou como as comunidades indígenas e tradicionais vivem ainda hoje. Aprendendo e trocando com o meio ambiente. Não apenas explorando-o. Pois é dele que vivemos. Nós somos a natureza, destruí-la é também nos destruir.

 

 

“A ideia é trabalhar o desenvolvimento humano; não há crescimento econômico ou da sociedade sem o desenvolvimento humano. São as pessoas que fazem as coisas acontecerem e elas precisam estar transformadas interiormente para provocar mudanças positivas”. Alfredo Cordella, organizador do primeiro encontro sobre o tema, que ocorreu em Santos (SP) e presidente da ONG Rede Cidadania.

Bóra viver a ECOFELICIDADE em 2020?

 

Block "cta-20-dicas" not found

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *